O fenómeno dos blogs

Um dos acontecimentos mais relevantes da Internet na actualidade é o crescimento exponencial do número de blogs. Inicialmente avaliado como um fenómeno passageiro e restrito a uma minoria de utilizadores, rapidamente se verificou o contrário e os blogs começaram a proliferar a um ritmo vertiginoso. Surgiu um novo espaço na Internet, caracterizado pela liberdade de expressão, onde existe a possibilidade de cada um de nós partilhar pensamentos e opiniões com pessoas de todo o mundo. Esse espaço é o conjunto de todos os blogs e forma uma nova comunidade conhecida como blogosfera. Este artigo pretende abordar a liberdade de expressão, proporcionada pelos blogs, levantar questões e procurar respostas, convidando-o a reflectir sobre o fenómeno blog. O presente texto ambiciona também, de uma forma sucinta, dar uma visão geral sobre o que são os blogs, explicando alguns conceitos básicos, mas especialmente despertar o leitor para o potencial que estes têm enquanto veículos de comunicação.

Existem várias obras sobre o tema que aconselho o leitor mais curioso a consultar, caso pretenda mais informações sobre o assunto. Destaco a dissertação de mestrado de Artur Vasconcelos Araújo intitulada de “Weblog e Jornalismo: os casos de No Mínimo Weblog e Observatório da Imprensa (Bloi)” (São Paulo, 2006) e também um trabalho de Catarina Rodrigues intitulado “Blogs e a fragmentação do espaço público” (Portugal, 2006).

A abordagem seguinte procura que o documento seja de fácil interpretação, inclusivamente para leitores não familiarizados com a área das novas tecnologias. Em primeiro lugar será explicado o nascimento do termo blog, seguindo-se uma reflexão por diversos tópicos intrinsecamente relacionados com o fenómeno dos blogs, sendo o artigo finalizado com uma breve conclusão.

Nascimento

O termo blog é descendente de weblog. Weblog foi inventado por Jorn Barger e utilizado pela primeira vez no dia 17 de Dezembro de 1997. A palavra resulta da abreviatura das palavras inglesas web (rede) e log (diário de bordo onde os navegadores registavam os pormenores das viagens que realizavam). A sua abreviatura blog surgiu fruto de uma brincadeira de Peter Merholz que separou a frase e escreveu no seu weblog, em Abril de 1999, “we blog”. Rapidamente um weblog passou a ser conhecido simplesmente como blog.

Aspectos Técnicos

Um blog é um website, mas com a diferença de possuir software próprio que o suporta. Este software permite fazer a gestão de conteúdos de forma fácil e intuitiva para o utilizador. As pessoas responsáveis pela manutenção destes websites são intituladas de bloggers. Tradicionalmente os conteúdos dos blogs aparecem organizados do mais recente para o mais antigo. Cada parte do conteúdo é conhecida por entry. Ao escrever qualquer coisa no blog diz-se que se está a escrever um post. Cada post entry é identificado com a data em que foi escrito e normalmente também com o tipo de assunto, ao qual fica associada uma categoria. O software que suporta o blog é responsável por fazer o upload da nova entry e colocá-la na página principal do blog, associando-lhe um endereço de Internet único.

Outro aspecto a considerar num blog são os blogroll, conjunto de links para outros blogs. Possuir um link para um blog no blogroll de blogs de grande qualidade torna-se uma honra e pode trazer uma maior visibilidade ao blog menos conhecido. Os leitores do blog podem, se o autor o permitir, deixar comentários sobre os diferentes post entry ou ainda permitir trackbacks, que consistem na possibilidade de deixar links para o seu próprio blog. Outro aspecto técnico importante é relativo ao RSS (really simple syndication) e aos newsreaders; muitas pessoas lêem o conteúdo dos blogs através de mecanismos conhecidos como newsreaders (programas ou serviços de Internet que agregam os conteúdos disponibilizados por RSS) passando os blogs, neste caso, a serem conhecidos como feeds.

Existem muitas ofertas destes serviços que permitem a criação de blogs, os mais conhecidos em todo o mundo são o Blogger, Blog.com e o WordPress. Em Portugal os mais utilizados são: Blog.pt, Blog do Sapo e Weblog.com.pt.

A Web 2.0 ou Web-social

Ao falar em blogs é importante esclarecer o leitor para outro conceito intimamente relacionado com estes, a intitulada Web 2.0 ou também conhecida como web-social (rede-social). Este conceito pretende designar a revolução existente que procura usar a Internet como uma plataforma que tira partido do conhecimento colectivo e através dele vai-se construindo e aperfeiçoando.

A Internet antes desta revolução funcionava como uma rede que ligava diversos serviços, cada qual com as suas características próprias. A Web 2.0 traduz-se como uma gigante plataforma, que comunica e partilha conteúdos e serviços, onde os conteúdos produzidos por cada um de nós adquirem o seu espaço e obtém a divulgação adequada. A própria consulta dos assuntos publicados proporciona indicadores de popularidade que podem ser usados para uma melhor classificação e selecção da informação.

Os blogs assentam exactamente neste princípio da web-social (rede social), transformando-se os diversos conteúdos disponibilizados nos blogs em informação pública e comum, com a possibilidade de ser comentada e/ou corrigida.

Diferentes Formatos

Os blogs podem assumir diferentes formatos, utilizando distintas formas de comunicação. Em termos gerais, e de uma forma redutora, é possível classificar os diferentes formatos dos blogs em: tradicionais, photoblogs, podcasts e vlogs.

Os tradicionais podem combinar texto, imagem, som e vídeo e são o objecto de estudo principal deste documento. Já os photoblogs são vocacionados para a imagem e fotografia, sendo um dos principais fornecedores deste tipo de serviço o Photoblog. Os podcasts fazem uso do som como meio de comunicação e nos vlogs os conteúdos são essencialmente pequenos vídeos.

Meio de Comunicação – “Existo logo partilho”

descartes-blogger

A Imprensa permite esclarecer o leitor sobre um determinado assunto, mas não o ajuda a formar uma posição critica sobre ele. Os blogs assumiram-se como uma nova ferramenta que possibilita a cada um de nós, não apenas uma postura receptiva perante a actualidade, mas também a possibilidade de expressar o nosso ponto de vista sobre determinados assuntos. Os bloggers estão atentos ao que os meios de comunicação social relatam e fazem uma abordagem, numa perspectiva muito própria, dos temas divulgados pelos media, podendo em algumas ocasiões ser o próprio blog a divulgar um tema ou notícia à sociedade civil.

Um blog permite ao cidadão, em nome individual ou em grupo, transmitir opiniões, partilhar estados de alma, fazer denúncias… É uma ferramenta que confere total liberdade a quem escreve. Claro que este aspecto positivo pode rapidamente transformar-se numa arma perigosa, quando o blog é utilizado para espalhar boatos ou difamar pessoas ou instituições. Este assunto será analisado com maior profundidade no tópico dedicado ao conjunto de vantagens e desvantagens associadas a um blog.

Evolução – Os números associados ao fenómeno

A blogosfera cresceu a um ritmo espantoso. Em 1999 o número de blogs era estimado em menos de 50. No final de 2000, esse valor era de poucos milhares. Três anos depois, os números saltaram para os 3 milhões. Actualmente, e de acordo com o estudo State of Blogosphere da Technorati, existem mais de 130 milhões de blogs. O número de posts também aumenta a um ritmo alucinante, cerca de 900 mil de posts por dia, o que se traduz em cerca de 1 post por segundo.

É também particularmente interessante o facto de que existem estatísticas que confirmam que a blogosfera reage de imediato a acontecimentos sociais, verificando-se um aumento do número de posts e comentários particularmente nessas ocasiões.

Relativamente ao idioma utilizado na escrita o Inglês é a língua dominante com cerca de 39% da totalidade da blogosfera. O Japonês apresenta-se em segundo lugar com 31% e em terceiro vem o Chinês com cerca de 12%. O Português conta apenas com 2%, o que não deixa de ser algo estranho visto ser a sétima língua mais falada do mundo e a terceira mais falada do mundo ocidental. Uma explicação possível para esta ínfima percentagem pode residir na adopção do Inglês, como língua escolhida para expor os conteúdos, em detrimento da língua de Camões.

Em Portugal são os professores, jornalistas e estudantes os mais entusiastas do universo blog, seguindo-se gestores, advogados e arquitectos. O utilizador tipo tem uma idade compreendida entre os 25 e os 39 anos e é do sexo masculino. Embora a utilização dos blogs seja fácil e intuitiva, em Portugal, os seus utilizadores principais são jovens com alguma instrução académica, provavelmente por estarem mais receptivos a novos modelos de vida e também por se encontrarem mais à vontade na área das novas tecnologias. Quanto ao facto de serem na maioria do sexo masculino tal poderá ser explicado pela mentalidade ainda retrógrada, vivida em Portugal, de que as mulheres devem estar confinadas a tarefas domésticas e educação dos filhos, deixando-lhes pouco tempo para poderem usufruir desta nova forma de comunicação.

Evolução – Mudanças de Mentalidades

No entanto não é apenas ao nível de números que a blogosfera evoluiu. Verifica-se também uma mudança de mentalidades. Através de pesquisa efectuada, parece-me lógico e aceitável dividir a história dos blogs em três fases distintas. No início, os blogs eram especialmente combinados com uma página pessoal para que assim fosse possível encontrar outras pessoas com os mesmos interesses. Numa segunda fase, os bloggers começaram a perceber o poder dos blogs e passaram a utilizá-los para comentarem eventos noticiosos de forma quase instantânea, muitas vezes analisando quase em directo o que se passava na televisão. Posteriormente, numa terceira fase, os blogs passaram a ter um papel preponderante traduzindo-se muitas vezes eles próprios como fontes de informação dos media. É claro que estas evoluções não são estanques e os blogs da actualidade tendem a basear-se um pouco na união das três fases anteriores.

Diferentes Categorias

Os blogs são por norma espaços em constante mutação e a sua classificação torna-se complicada. No entanto, de uma forma algo subjectiva podemos tentar classificar os seus conteúdos em áreas de interesse. Normalmente caracterizam-se por serem observadores da actualidade, temáticos ou simples diários pessoais.

No caso de serem observadores da actualidade, os blogs assumem um papel informativo e crítico intimamente ligado à área do jornalismo. Os temáticos vivem de comentários a notícias e acontecimentos sobre um determinado assunto ou área. Os de cariz pessoal funcionam mais como um diário, abrindo a vida pessoal do seu autor ao mundo. Podem também existir blogs que agregam uma ou mais características destas três categorias.

Sucesso ou Insucesso de um Blog?

blogging-nothing

O sucesso ou insucesso de um blog está intimamente relacionado com a qualidade da escrita, comentários proferidos e argumentos utilizados. A natureza dos conteúdos é também muito importante, sendo normalmente aspectos relacionados com a actualidade os mais procurados. Outro ponto importante é a projecção feita a um determinado blog. Talvez o meio mais fácil para atingir este objectivo seja através da utilização de hiperligações em locais estratégicos da Internet que direccionem o utilizador para o blog.

Existe também uma luta saudável entre bloggers de forma a descobrir qual deles ganha mais notoriedade, normalmente baseada em índices estatísticos, como por exemplo número de visitas ou de comentários.

A blogosfera está em constante renovação e o fim de blogs marca o início de outros. Um blog pode terminar por diversos motivos desde desentendimentos entre autores até à sua má qualidade. Outros nascem com a ambição de ter visibilidade perante um determinado grupo de pessoas.

Vantagens e Desvantagens

O maravilhoso mundo da Informática abriu novas janelas a quem se aventura no contacto com esta ciência. No caso particular dos blogs são inúmeras as vantagens proporcionadas ao utilizador. O acesso é gratuito, sendo apenas necessário possuir ligação à Internet. A construção de um “diário” on-line é feita com o mínimo de conhecimentos técnicos estando acessível a todos e permite uma permanente actualização dos conteúdos. A confidencialidade é outro aspecto importante pois o autor pode optar por um pseudónimo, a liberdade de expressão é real. Isto é importante porque em muitas situações o pensamento individual do cidadão é vítima da vontade do grupo onde ele está inserido. Isso acontece na empresa onde ele exerce a sua actividade laboral, no seio do movimento político a que pertence ou numa simples conversa na mesa do café, com o grupo de amigos. O blog pode ser um bom escape para libertar o que muitas vezes é verbalizado por receio de colisões com a vontade da maioria.

O blog pode funcionar como instrumento para divulgação de ideias ou projectos, ou muito simplesmente como arma para combater a solidão, flagelo que afecta cada vez mais pessoas, em particular nos países industrializados. Pode também ser uma excelente fonte de conhecimentos a explorar pelos estudantes na elaboração dos seus trabalhos escolares.

Claro que o universo blog não é pintado unicamente a cor-de-rosa. Alguns blogs são escritos com cores muito cinzentas, por exemplo, os que têm como objectivo difamar pessoas / instituições, muitas vezes lixo que contribui para a poluição do ciberespaço. Na década de 40 do século XX, Allport e Postman, estabeleceram uma lei que explica a rapidez com que os boatos são espalhados. Quanto mais importante e ambíguo for o boato mais célere será a sua difusão, situação quantificada através da fórmula: Rumor = Importância x Ambiguidade. Se adicionarmos um meio eficaz de disseminação, por exemplo um blog, o resultado pode ser devastador para a pessoa ou grupo que é visado no boato.

Conclusão

Desde a invenção da escrita pelas antigas civilizações até aos nossos dias, o Homem percorreu um caminho extraordinário de invenções, conquistas e descobertas. A Internet revolucionou as sociedades industrializadas, na última década do século XX, e assume-se hoje como instrumento imprescindível nas nossas vidas. Os blogs nasceram neste terreno fértil porque o Homem, desde sempre, é um ser curioso, crítico e que tem uma vontade enorme em comunicar. Resta agora esperar que saibamos olhar de olhos bem abertos para o futuro e aproveitar com responsabilidade e inteligência todas as suas potencialidades.

Fontes:

  • Artur Vasconcelos Araújo (2006) Weblog e Jornalismo: os casos de No Mínimo Weblog e Observatório da Imprensa (Bloi), São Paulo.
  • Catarina Rodrigues (2006) Blogs e a fragmentação do espaço público, Universidade da Beira Interior, Portugal.
  • João Canavilhas, Blogues políticos em Portugal: O dispositivo criou novos actores? Universidade da Beira Interior, Portugal.
  • Paulo Querido e Luís Ene (2003) Blogs, Centro Atlântico, Portugal.
  • Brad Hill (2006) Blogging for Dumies, Wiley Publishing, Indiana.
  • Technorati State of the Blogosphere, 2008, http://technorati.com/blogging/state-of-the-blogosphere/.
  • Weblog, Wikipedia PT, http://pt.wikipedia.org/wiki/Blogs.
  • Blog, Wikipedia EN, http://en.wikipedia.org/wiki/Blog.
  • BLaugh, http://blaugh.com
  1. mb|Weblog 17 August 2009 18:45:15

    Excelente post!

  2. J.P 17 August 2009 21:51:59

    Excelente post 🙂

  3. geocrusoe 17 August 2009 22:55:29

    Optimo texto para compreender a blogosfera

  4. gloria fontanetto 5 September 2009 21:14:51

    Muito bom mesmo. Vou resumir para discutir num curso sobre construção de blogs para professores.

    A qualidade do seu “post entry” está excelente.

    Parabéns!

  5. «O fenómeno dos blogs», por Gonçalo Rodrigues « mb|Weblog 5 July 2010 14:01:40

    […] O blogger Gonçalo Rodrigues escreveu e publicou um excelente post intitulado «O fenómeno dos blogs». Recomendo a sua leitura não só a quem está a iniciar a sua presença na blogosfera, ou começa […]

  6. daniel 24 September 2011 03:09:30

    very interessante